Curiosidade fóssil: Flor preservada




No quadro "Curiosidade Fóssil" de hoje trago um lírio fóssil brasileiro! Este exemplar foi encontrado com raízes completas e flor, e data de cerca de 115 milhões de anos (Cretáceo/Mesozóico). ⁣

O fóssil se encontra tão bem preservado, que foi possível identificar células isoladas em lâminas preparadas para microscópio (a primeira imagem foi retirada do artigo que o descreveu).⁣

As angiospermas evoluíram há cerca de 140 milhões de anos, o que significa que este lírio foi umas das primeiras angiospermas a evoluir. Este lírio foi identificado como uma espécie nova de planta, Cratolirion bognerianum.⁣

O fóssil está hoje exposto no Museu de História Natural de Berlim e tem cerca de 38 cm de comprimento. ⁣

A formação Crato onde ela foi encontrada, no nordeste do Brasil, oferece vastas informações fósseis acerca da vegetação do Cretáceo na região.⁣

Obs: a segunda imagem está aí apenas para que vocês tenham noção de como é uma espécie de lírio atual, e quem sabe, tentarem reconhecer suas estruturas no fóssil.⁣

Fonte: Coiffard et al. 2019. "Fossil evidence of core monocots in the early Cretaceous". Nature plants 5, 691-696.⁣